Consultores Disponíveis Agora

Agnes

Astróloga, Numeróloga, Baralho de Zé Pilintra, Tarot dos Orixás, Tarot das Bruxas, Cristaloterapia

Aiala

Coach Especialista área Amorosa e Relac Abusivos, Baralho Cigano e Tarot Mitológico.

Alaíde

Terapeuta Holística, Búzios, Tarot e Baralho Cigano.

Alexandre D Ogum

Terapeuta Holístico, Búzios, Baralho Cigano, Reiki, Cromoterapia, Florais de Bach, Mesa Radiônica e Magia Cigana

Alyra

Mediunidade Intuitiva e Baralho Maria Padilha

Amabel

Vidência, Cartomancia, Tarot e Baralho Cigano.

Andressa

Tarô Videntes da Luz, Tarot Mitológico e Pêndulo.

Andrielle Cigana

Vidente, Baralho Cigano, Leitura de Copo d'Água e Cartomancia Tradicional

Atena Taróloga

Intuitiva, Tarot Smith Waite e Lenormand (Baralho Cigano).

Bento

Vidente, Baralho de Dona Maria Padilha e Sr. Zé Pelintra, Tarot de Marselha, Petit Lennormand, Tarot de Waite, Tarot Mitológico

Cigana Anita

Percepção Mediúnica, Tarot e Baralho Cigano.

Clarisa

Baralho Cigano, Tarot de Marselha, Baralho Maria Padilha, Mesa Radiônica e Cristais.

David Klaus

Psicoterapeuta Holístico Especializado em LGBTQIA+, Reiki, Baralho Cigano e Mesa Radiônica

Maeve

Coach Holística, Sensitiva e Tarot Mitológico.

Samantha

Vidência, Tarot dos Anjos, Tarot de Waite, Tarot de Bocceli, Tarot de Marselha, Tarot de Toth, Mesas Radionicas e Pêndulo.

Tarólogo William

Astrólogo, Vidas Passadas, Tarot, Baralho Cigano e Runas.

Últimos Artigos

Você pode pensar que se trata apenas de sua aparência física ou percepção pessoal, mas o que vou abordar aqui é algo que em muitas consultas percebo: é sobre ações que revelam a energia que uma mulher carrega, especialmente se é uma mulher que, inconscientemente, nega a energia masculina, que, muitas vezes, está dentro de si mesma e ferida.

Vamos começar com um pequeno teste. Responda sim ou não para o seguinte:

🔹Você se recusa a aceitar ajuda porque prefere lidar com tudo sozinha?

🔹Sente orgulho em conseguir conquistar ou fazer algo sozinha?

🔹É uma mulher forte, porém solitária, que compete com os homens, seja profissionalmente ou outras áreas?

🔹Carrega um fardo e uma responsabilidade grande, estando sempre preocupada?

🔹Está constantemente focada em conquistas, sem tempo para se cuidar?

🔹Quando foi a última vez que você cuidou de um homem? Essa última pergunta foi o principal teste, se você encarou isso como "machismo" e achou um absurdo essa pergunta, pensando em abandonar a leitura, é sinal forte de que você está generalizando as coisas e seu lado masculino está seriamente ferido. Mas não se preocupe, esse artigo vai te ajudar a compreender um pouco mais sobre isso, e talvez, se você se permitir, fazer uma autoanálise sincera, esse artigo pode te gerar uma transformação interna.

Quantas vezes já ouvimos uma mulher dizer que foi mãe e pai para seus filhos? Que era responsável pelo sustento da casa e ainda cuidava do lar?

Muitas mulheres enfrentaram o peso do mundo sozinhas, lidando com homens ausentes, violentos e abusivos. Mesmo que houvesse um parceiro masculino, muitas vezes era ela quem assumia todas as responsabilidades, sem apoio. Ela precisou se virar sozinha! Isso soa familiar para você? Você ou sua mãe passaram por algo assim?

Se essa foi a sua história ou da sua ancestralidade, é provável que você tenha desenvolvido uma energia masculina para se proteger, sufocando seu lado feminino. Porém, essa energia está ferida. Porque você mesma a fere diariamente para proteger a si mesma e também as mulheres que vieram antes de você (sua mãe, avós... ainda que não as conheça!).

A mulher forte e solitária, geralmente, passou por abandono e traição, o que a levou a cultivar uma forte energia masculina para se sentir segura e protegida. Mas, e se você quer punir os homens que maltrataram ou deixaram de fazer sua parte? Tudo isso, inconscientemente, fará você se autoboicotar, achando que precisa ser autosuficiente. Se você se identifica com isso, pode reconhecer algumas características em si mesma:

🔹 Dificuldade em pedir ajuda

🔹Constante desconfiança ou negação sobre os homens

🔹Competitividade exacerbada

🔹Sobrecarga de trabalho, levando à exaustão e talvez falta de reconhecimento

🔹Autocrítica constante (pois está criticando seu próprio lado masculino)

🔹Falar mal de outras mulheres, para se sentir mais "mulher" do que elas, mas na verdade está se sentindo mais homem do que elas, porém não percebe isso.

🔹Dificuldade em relaxar e descansar

🔹Atrair parceiros(as) frágeis.

E como isso está relacionado a atrair parceiros(as) frágeis? Mulheres com uma forte energia masculina, muitas vezes, desconfiam de seus parceiros e desvalidam-os, acreditando que precisam provar sua capacidade de se virar sozinhas, entrando em uma disputa de poder e presumindo que serão traídas ou abandonadas.

Isso acaba atraindo parceiros(as) que estão vibrando na polaridade da energia feminina imatura, com comportamentos infantis e necessidade constante de serem nutridos pelo outro.

Pois é, assim como isso acontece com vocês, mulheres, ao vivenciarem uma energia masculina imatura (pois homens maduros não são assim), também acontece de homens estarem vivenciando uma energia feminina imatura, onde são frágeis ao extremo. Mulheres maduras são frágeis sim, e precisam de ajuda, porém não são assim extremadas como alguns homens se comportam quando estão com a energia feminina imatura ativas neles (mas isso é assunto para outro artigo rs).

Enfim, sua energia masculina em excesso transmite a energia ao mundo de uma mensagem de que você não precisa de ninguém. Por isso, homens maduros ou mulheres maduras, que buscam uma relação de respeito e troca justa, afastam-se, enquanto aqueles que desejam sugar sua energia, dinheiro e outras coisas, aparecem em abundância. Já passou por isso: um "marmanjo" parecendo que quer uma mãe e não uma namorada/esposa?

Hoje, suas feridas estão criando uma armadura, atraindo pessoas que as decepcionam, reforçando a ideia do seu inconsciente de que é melhor estar sozinha. E tudo isso acontece apenas para validar uma promessa sua antiga, provavelmente feita na sua infância: a de que não seria vulnerável a homem algum.

Isso a trouxe apenas de benefício: relações com pessoas infantis, tóxicas e indisponíveis. Mas você pode mudar isso, conectando-se e reconhecendo a potência do seu feminino, com sua energia original, livre de preconceitos que você mesma criou sobre as mulheres.

Então é hora de reconhecer isso, primeiro internamente, e depois elaborar um plano para mudança, se esse for seu verdadeiro desejo. O primeiro passo é reconhecer que você mesma criou essa armadura e depois, iniciar uma mudança externa de atitudes e se permitir ser mais vulnerável, compreendendo que ser mulher não é ser frágil ao extremo, mas sim aceitar um lado mais autêntico, amoroso, acolhedor e receptivo de si mesma.

É hora de abrir espaço para a suavidade, para a conexão emocional e para a aceitação de que permitir-se receber apoio e amor não é sinal de fraqueza, mas de coragem e crescimento pessoal.

Aceite o seu feminino desconhecido e, o principal: seja gentil consigo mesma nesse processo de transformação, não se julgando.

 

🔵 Este artigo foi enviado por ANTONIO – Psicoterapeuta de Vidas Passadas, Coach Amoroso Especialista em almas gêmeas e tratamento de vidas passadas visando resolução de karmas, Vidência, Apometria, Captação Anímica, Tarô dos Orixás e CartomanciaPara fazer seu atendimento com ele, clique aqui.

Próximo Artigo Ver Todos os Artigos
Conselhos do Bem utiliza cookies para entregar uma melhor experiência durante a navegação Saiba mais »