Consultores Disponíveis Agora

Abraão Sensitivo

Sensitivo, Numerologia Pitagórica e Cabalística, Tarot e Baralho Cigano.

Alaíde

Terapeuta Holística, Búzios, Tarot e Baralho Cigano.

Alexandre D Ogum

Terapeuta Holístico, Búzios, Baralho Cigano, Reiki, Cromoterapia, Florais de Bach, Mesa Radiônica e Magia Cigana

Alexiah De Oxóssi

Sensitiva, Terapeuta Holística, Psicanálise Espiritual, Búzios, Baralho de D.Rosa Caveira, Baralho Cigano Lenormand

Alyra

Mediunidade Intuitiva e Baralho Maria Padilha

Atena Taróloga

Intuitiva, Tarot Smith Waite e Lenormand (Baralho Cigano).

Bento

Vidente, Baralho de Dona Maria Padilha e Sr. Zé Pelintra, Tarot de Marselha, Petit Lennormand, Tarot de Waite, Tarot Mitológico

Bia de Oxumarê

Terapeuta Holística, Búzios, Tarot do Amor, Tarot dos Orixás e Baralho Cigano.

Celina

Pedagoga, Numeróloga, Tarot, Baralho Cigano e Pêndulo.

Cigana Anita

Percepção Mediúnica, Tarot e Baralho Cigano.

Cigana Kaline

Clarividente, Sensitiva, Psicanalista, Baralho Cigano e Mesa Radiônica Psicogerador.

Cigano Higor

Bola de Cristal, Búzios e IFá, Baralho da Cigana Sete Saias, Tarot dos Oceanos, Dadomancia e Espelhos de Oxum e Yemanjá

Clarisa

Baralho Cigano, Tarot de Marselha, Baralho Maria Padilha, Mesa Radiônica e Cristais.

Fabi Taróloga

Terapeuta Holística, Vidente, Apometria de Ancoragem, Tarô Rider Waite, Tarô Egípcio, Tarô Mitológico, Radiestesia

Felícia Cigana

Psicanalista, Tarot Mitológico e Tarot de Marselha.

Fernanda

Psicoterapeuta Holística, Reiki Xamânico, Oráculo dos Anjos, The Fairy Tale Tarot, Cura Prânica, Florais Etéricos Xamânicos

Helena

Reiki I+II, Tarot Rider Waite, Baralho Cigano, Aromaterapia e Terapia com os cristais.

Juliana Luz

Numerologia Cabalística, Constelação Familiar, Radiestesia, Tarot Mitológico e Mesa Radiônica.

Madalyna

Vidência, Astrologia, Numerologia Cabalística, Baralho Cigano, Oráculo da Deusa, Oráculo de Belline, Pêndulo de Cristal.

Últimos Artigos

A prática da meditação é uma técnica ancestral para se concentrar melhor e ficar mais tranquilo, com foco apenas no presente. Meditar significa olhar para o centro e voltar para ele, pois é um momento de profundo silêncio interior.

Os pensamentos causam barulho, mas aquele que medita consegue silenciar a cabeça desses ruídos. Nesse cenário, dá para entender a meditação como o contato com a sua própria essência e bem longe de qualquer materialidade.

Muitas pessoas acreditam que é muito difícil meditar e até mesmo, algo proibido, porque pode ser maléfico para a pessoa. No entanto, a proposta desse texto é mostrar como a prática da meditação é poderosa para te auxiliar no autoconhecimento.

🔷 O que é e para que serve a prática da meditação?

A meditação esvazia a mente por alguns momentos e a ensina a ficar em silêncio. Por isso, é comum achar que é complicado no início por exigir muita concentração e uma postura diferenciada, mas, na verdade, é algo mais simples.

Para meditar, é fundamental ter o direcionamento correto por intermédio de professores com experiência e a certificação correta. Por mais que pareça que apenas os monges conseguem, a realidade é que a técnica é acessível.

Um ponto muito curioso sobre a prática da meditação é que a serventia depende muito da sociedade. Afinal, alguns usam para esvaziar a mente e estar em contato consigo mesmos, enquanto outros apenas para relaxar.

Os budistas utilizam para estar em estado de buda, ou seja, elevar a consciência. Por outro lado, um fato deve ser citado: a meditação auxilia no seu desligamento do mundo anterior e te conecta com o que mais importa: o que presente.

🔷 Quais as origens desta técnica?

A meditação é uma prática milenar e teve o seu início nas tradições orientais, principalmente nas filosofias de yoga e no budismo. Os relatos mais antigos são oriundos da Índia, por meio dos Vedas, e China, com os taoístas, em 1500 a.C e 500-600 a.C, respectivamente.

Embora pareça que Sidharta Gautama, o Buda, tenha sido o precursor, a realidade é que o budismo apenas tornou a meditação algo mais conhecido. Por conta da Rota da Seda, muitos ensinamentos eram difundidos para os países orientais naquele período histórico.

A primeira “escola original”, que abordava parte desses ensinamentos oriundos da China, foi fundada no leste da Ásia apenas no século 6. Assim, os ensinamentos oriundos da China foram incorporados e ensinados à sociedade.

O século VIII marcou o crescimento do budismo japonês, e foi nessa época que a meditação cresceu no Japão. Quatro séculos mais tarde, houve o desenvolvimento da meditação sentada, que seria muito utilizada no futuro.

A meditação também esteve presente no Oriente Médio e entre os mulçumanos, a partir dos séculos VIII e IX.

Uma das técnicas era repetir 99 nomes de Deus no Alcorão, já no século XII, houve o desenvolvimento de técnicas

de respiração, enquanto a repetição de mantras sagrados era realizada.

No caso da prática da meditação cristã, vale lembrar que a Igreja Bizantina foi a principal responsável. Desse modo, era necessário repetir um mantra, o relato mais fiel é do século XIV, na Grécia, por intermédio de Gregório de Sinai.

Entre os judeus, a meditação também esteve presente em citações da cabala, o maior difusor dessa prática foi Abraham Abulafia (1240-1291). Segundo o seu relato, era possível acessar o divino e potencializar o alcance da alma meditando.

Nos séculos seguintes, as sociedades tiveram mais intercâmbio e a meditação se difundiu para todo o planeta.

🔷 Como se aprende a meditar?

É muito importante entender como se aprender a meditar e por isso dá para dividir em cinco passos importantes. Portanto, cada passo é relevante para trazer mais eficiência para a prática da meditação, abaixo confira ponto por ponto:

  • Reserve um tempo: Não é necessário mais do que 2 momentos por dia, inclusive é indicado começar apenas com um. Pode ser logo pela manhã, pois o dia é iniciado sem ansiedade e com um clima mais limpo. Destaca-se que um período de 15 a 20 minutos já basta para iniciar a meditação.
  • Controle a sua respiração: Encha os pulmões de ar e depois solte aos poucos, por isso use a barriga e o tórax, sem ter pressa. Conte até 4 na inspiração e repita o processo na expiração até ficar algo automático.
  • Encontre um local tranquilo: É importante separar um espaço onde você consiga ficar sentado com muita tranquilidade. Pode ser na sua sala, no chão, sofá, escritório e até mesmo dentro do carro, antes de descer. Fique apenas em um lugar calmo e sem distrações para te atrapalhar.
  • Foque a sua atenção: Encontre um foco para manter a sua atenção e uma tática interessante e repetir um mantra. O objetivo é exercer poder sobre a mente e pensar nisso, pode ser uma frase ou oração preferida.
  • Adote uma postura confortável: A postura em lótus, ou seja, sentada com as pernas cruzadas, desde que coloque os pés sobre as coxas, é indicada. Porém, dá para ficar em outras posições, seja sentado na cadeira ou no banco, o principal é ter o corpo reto, com a cabeça apoiada.

Basta seguir esses passos e a prática da meditação se tornará mais fácil, mas ainda não é tudo. Afinal, é necessário ter um professor por perto para guiar o processo e ensinar os passos necessários para melhorar a sua técnica.

🔷 Quais são os tipos de meditação?

Para meditar melhor e entender como as técnicas podem ser interessantes para você, é fundamental conhecer os tipos de meditação. Dessa forma, existem cinco mais conhecidas, a seguir veja as informações sobre elas:

🔹 Mindfulness

Por significar atenção plena, a proposta é te manter atento ao que está sendo feito naquele momento. Além disso, a curiosidade é treinada e se trata de uma técnica que consiste em estar aberto à situação sem qualquer tipo de julgamento.

Há muitas técnicas atenciosas e por isso é usado um tipo de âncora, como por exemplo: estar em movimento, respirar pausadamente, ficar parado, etc. Dá para usar técnicas construtivas, para atingir um estado específico na pessoa, e outras práticas analíticas, que permitem refletir melhor sobre si mesmo.

🔹 Meditação Transcendental

O objetivo é fazer a mente entrar em um campo transcendental, ou seja, o passado, futuro e presente são eliminados. Ao mesmo tempo, a sua consciência busca apenas o autoconhecimento, que é dividido por etapas.

🔹 Raja Yoga

Por ser uma técnica de meditação voltada para o autoconhecimento, a proposta é ajudar na compreensão de quem é a pessoa e qual o estado original. Dá para executá-la quando se movimenta, é só seguir os passos para usá-la.

🔹 Meditação Vipassana

Oriunda do budismo indiano, o foco é na observação e na conexão entre corpo/mente. Em outras palavras, a proposta é buscar autoconhecimento e por isso são utilizados conceitos que estão dentro do Código de Disciplina.

Para os praticantes da meditação Vipassana, não é aconselhável matar, roubar, mentir e tomar algumas substâncias tóxicas. Além disso, a prática sexual é regrada e o silêncio é praticado, assim como o fato de não cruzar olhares.

🔹 Meditação Zazen

Ramificada da tradição do Zen-Budismo, que é parte do budismo japonês, essa meditação requer que o corpo fique em posição adequada. Em seguida, os olhos devem estar entreabertos e a meta é ter consciência das suas percepções.

A comunhão entre mente e coração acontece, em seguida faz com que as emoções sejam melhor controladas. O ponto central é perceber como a cabeça trabalha e a forma pela qual enxerga o universo. Enfim, a proposta é conhecer quem realmente é você e melhorar o seu autoconhecimento.

🔹 Quais as características da meditação?

A prática da meditação deve ser enxergada como algo múltiplo, já que existem várias escolas de ensino sobre a arte de meditar. Nesse contexto, a ideia é trazer ferramentas internas para lidar com o estresse que o mundo moderno traz.

Um bom exemplo é quando algo dá certo o dia todo e durante a noite alguma coisa não funciona. Logo após essa percepção, a pessoa entra em um estágio de achar que tudo foi ruim, sendo que, na verdade, não foi assim.

A meditação tem como característica principal a disciplina, pois a pessoa fica em uma determinada posição, relaxa e segue os passos, de acordo com a escola de meditação escolhida, para meditar com sucesso.

Quando a pessoa medita, a mente consegue arquitetar melhores as sensações e aquilo que incomodava passa a incomodar menos. Com o tempo e a prática da meditação, o cenário é melhor e a pessoa conecta a sua mente com as sensações.

🔹 Por que meditar?

O mundo, atualmente, é uma loucura e a realidade é que falta tempo para tudo. Entretanto, ainda tem o estresse e isso leva a pessoa a perder a paciência com facilidade, sem contar o fato de ficar presa às coisas materiais.

A meditação é uma forma de conectar com você e se desligar de tudo aquilo que o mundo causa. Ao meditar, você consegue elevar a sua consciência e atingir um estágio de relaxamento, livre das amarras que a sociedade tem.

🔷 Quem tem ansiedade pode meditar?

A prática da meditação pode ser entendida como a necessidade de viver o “amanhã” sem ele nem começado. Por essa técnica leva ao autoconhecimento, por isso melhora compreensão da realidade, quando você medita, tende a ser melhor.

Os acontecimentos geram reações em você, mas quando a meditação é realizada você consegue lidar melhor com ela. A prática trabalha a respiração, disciplina e acalma a mente, então é ideal para diminuir a ansiedade.

Destaca-se um ponto sobre a meditação: essa técnica não deve ser realizada isoladamente e desconectada do acompanhamento médico/psicológico. Mas se você se sentir ansiosa e desejar meditar, não tenha medo de usar essa prática.

🔷 Quem não pode meditar?

A meditação traz muitas vantagens para quem pratica, porém pode não ser indicada para alguns públicos. Por exemplo: alcoólatras, usuários de drogas, esquizofrênicos e pessoas com transtornos depressivos graves.

Para os casos citados no parágrafo anterior, é importante buscar uma avaliação médica com quem cuida da pessoa. Exceto nessas situações, a maioria das pessoas podem usar a prática da meditação para ter todas as vantagens.

🔷 O que é mais importante para a prática da meditação?

A concentração é fundamental para meditar, porque se trata de esvaziar a mente e pensar só naquilo. Além disso, é fundamental ter disciplina para a meditação e estar atento aos sinais positivos que o corpo oferece.

🔷 Quais são os efeitos da meditação?

A prática da meditação possibilita que alivie algumas regiões cerebrais, pois melhora a sensação de bem-estar e a aprendizagem. Meditar também reduz os pensamentos negativos e impulsiona a sensação de prazer do corpo humano.

Certamente a meditação é um hábito saudável, por consequência cria uma disciplina para a prática dela. O aumento da concentração e da performance também acontece, pois, a pessoa terá mais atenção e paciência no dia a dia.

🔷 O que sentimos depois de meditar?

Assim que a meditação acaba, a pessoa ainda sente o estágio novo que a consciência atingiu. Sendo assim, a tendência é que sinta bem-estar, tranquilidade e um relaxamento que o fez ficar em contato consigo mesmo.

O que acontece se meditar demais?

A meditação deve ser realizada com equilíbrio, porque meditar demais pode afastar as pessoas da realidade. As sensações negativas, que são combatidas por quem medita, fazem parte da vida e devem ser enfrentadas. Meditar para fugir delas é perigoso e pode fazer a pessoa ficar mal-acostumada.

🔷 Quanto tempo demora para a meditação fazer efeito?

A resposta para essa pergunta depende de dois fatores: o tipo de meditação e a pessoa. Alguns conseguem sentir os efeitos horas após a prática, já outros podem demorar até 15 dias, o ideal é ter paciência e observar os efeitos.

🔷 Porque algumas pessoas não conseguem meditar?

Existem alguns fatores que atrapalham na meditação, por exemplo: falta de concentração e disciplina. Assim, é essencial se voltar para dentro de si e especialmente se disciplinar para sentir os efeitos da prática.

🔷 Quais os benefícios da meditação?

A meditação é uma prática milenar e tem trazido vários benefícios para as pessoas, como os seguintes:

  • Controle da ansiedade;
  • Desenvolvimento do foco nas atividades.
  • diminuição de sintomas depressivos;
  • Potencialização do autoconhecimento, autoestima e das emoções positivas;
  • Redução de estresse, os vícios e a perda de memória.

Os benefícios citados acima explicam a razão de as pessoas buscarem tanto a medicação.

Conclusão:

Por fim, a meditação deve ser entendida como uma forma de se conectar consigo mesmo. Contudo, o principal é utilizá-la com equilíbrio e principalmente na medida certa, sem qualquer tipo de excesso.

Muitas pessoas erram em tentar achar que meditar faz milagre, mas a verdade é que você que consegue a mudança. O mais importante é persistir e se abrir para os efeitos positivos que meditar traz para você.

A prática da meditação é uma aliada e traz muitos benefícios, o principal deles é colocar você em contato com o que de mais importante existe: você mesmo. Boa sorte na hora de meditar!

 

🔵 Consulte-se hoje mesmo com um dos mais de 60 profissionais disponíveis

 

 Conselhos do Bem Online | www.conselhosdobem.com.br

Próximo Artigo Ver Todos os Artigos
Conselhos do Bem utiliza cookies para entregar uma melhor experiência durante a navegação Saiba mais »